Família recorre a ‘jerico’ para driblar atoleiros e buracos na BR-319

0
4

Para escapar dos pontos de atoleiros e buracos da BR-319, uma família decidiu recorrer a um meio de transporte pouco conhecido nas grandes metrópoles: o jerico. A rodovia é a principal ligação por terra entre Porto Velho e Manaus.

Segundo o agricultor Erasmo Alves do Nascimento, o jerico foi a única forma encontrada para ter uma viagem sem imprevistos. Os “jericos” são veículos adaptados, geralmente fabricados em casa, com peças de diferentes carros.

“Este é o único meio de transporte que rompe a lama da BR-319. O carro é muito sacrifício. A gente tem carro, mas não anda pela BR sempre, pois é dificultoso para todos agricultores”, diz.

Motoristas enfrentam pontos de atoleiros na BR-319, que liga Porto Velho e Manaus

A Rede Amazônica flagrou o agricultor e a família percorrendo a BR-319 no jerico durante a última semana, enquanto a reportagem viajava pela rodovia para mostrar as condições da estrada.

Em pontos de atoleiros da BR-319, a empresa contratada está colocando pedras, porém encarar a rodovia continua sendo um desafio para quem mora ao sul do Amazonas. Por causa das chuvas, a empresa de ônibus suspendeu as viagens entre Porto Velho e Manaus.

A reportagem partiu de Humaitá, já sul do Amazonas. O início foi tranquilo, pois há asfalto. Mas logo aparecem as lascas de asfalto e, para driblá-las, o carro precisou fazer “zig-zag”.

Além de Erasmo, a equipe de TV flagrou outro agricultor improvisando a viagem na BR-319. Gilmar Ramos adaptou a moto e acoplou uma carrocinha nela. O veículo ajuda no transporte da mulher e dos dos filhos.

Importância da rodovia
A BR-319 corta boa parte do Amazonas. É a única ligação por terra do estado com o restante do país, mas há anos só recebe reparos e, no período chuvoso, vários pontos de atoleiros se formam na via.

Neste mês de janeiro, a única empresa que fazia o transporte de passageiros entre Porto Velho e Manaus suspendeu as viagens. Isso porque só dava pra saber o horário de saída dos ônibus, ficando impossível imaginar a hora e muito menos o dia da chegada ao destino final, devido aos atoleiros.

Em um vídeo feito na BR-319, os passageiros relataram uma das sete que vezes que o veiculo atolou na viagem. Eles passaram o natal na estrada.

A empresa que presta serviço de manutenção começou colocar pedras nos maiores atoleiros. A medida é para amenizar os problemas.

O Dnit informou em nota que lançou, em 2019, um edital de licitação para o asfaltamento da rodovia e melhorias em outros pontos, mas ainda depende do licenciamento ambiental pra obra de pavimentação.