Alunos do IFMT se manifestam contra agressões sofridas por estudante autista em Cuiabá

0
2

Alunos do Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT), Campus Centro, em Cuiabá, realizaram manifestação, nesta terça-feira (3), em de apoio a um estudante autista, de 16 anos, que teria sofrido agressões dentro da instituição. A mãe do adolescente, Juliana Arini, já fez várias denúncias, inclusive à polícia, dos maus tratos sofridos pelo garoto.

No ato desta manhã, os colegas cobraram mais atitude e punições aos agressores por parte do Instituto. Amanda Acosta, presidente do Grêmio Estudantil, diz que é preciso que a direção tenha um posicionamento mais firme diante de situações como esta.

“Queremos que a instituição se posicione contra esse tipo de atitude e puna os agressores”, comentou ela.

Segundo a mãe do adolescente, essa não é primeira vez que ela registra boletim de ocorrência pelos maus tratos sofridos pelo estudante.

Mãe já registrou mais de um boletim de ocorrência sobre as agressões — Foto: Arquivo pessoalMãe já registrou mais de um boletim de ocorrência sobre as agressões — Foto: Arquivo pessoal

Mãe já registrou mais de um boletim de ocorrência sobre as agressões — Foto: Arquivo pessoal

“Deram uma rasteira nele, e ele caiu da escada. No ano passado, ele foi empurrado do segundo andar e caiu no telhado do prédio ao lado”, contou ela.

Além disso, três celulares do jovem já foram quebrados.

“Eles pegam a mochila dele, escondem, depois devolvem do outro lado da escola, com o celular quebrado”, relatou.

O adolescente não vai à aula há mais de uma semana por medo de ser agredido novamente.

“A minha preocupação é porque ele começa a se culpar, a dizer que não deveria existir, que não quer mais falar, porque acha que a presença dele incomoda os outros”, lamenta a mãe.

IFMT Cuiabá — Foto: Leandra Ribeiro/G1IFMT Cuiabá — Foto: Leandra Ribeiro/G1

IFMT Cuiabá — Foto: Leandra Ribeiro/G1

O IFMT afirma que as câmeras de segurança não registaram imagens dessas situações, mas apura todas as denúncias que recebe. O diretor Cristovam Albano diz que já recebeu relatos de violência contra o adolescente autista e que quatro alunos foram punidos.

Entretanto, o diretor reconhece que a instituição precisa melhorar o atendimento às necessidades especiais de cada estudante. Porém, segundo ele, é preciso que os demais alunos também colaborem.

Para evitar outros danos, juliana tenta transferir o filho pra outra unidade do IFMT.

“Penso que em outra unidade, ele terá uma nova chance”, explicou.